Velozes e Furiosos 8 – Crítica

by:

CríticasFilmes

Velozes e Furiosos 8

Já faz muito tempo que a franquia deixou de ser sobre corridas de carros, perseguição policial e uma busca por realismo. Velozes e Furiosos 8 traduz melhor do que nunca a mudança de linguagem ao longo desses dezesseis anos de muito sucesso nas bilheterias.

Substituindo o mestre do terror James Wan – que dirigiu Velozes e Furiosos 7 -, F. Gary Gray dirigi o melhor filme da família Toretto, Velozes e Furiosos 8. O diretor ganhou destaque por dirigir o filme Straight Outra Compton, além dos mais de 30 vídeo clipes musicais de cantadores renomados como Queen Latifah, Dr, Cre, Jay-Z e Ice Cube.

Em Velozes e Furiosos 8, o rachas de carro voltam a aparecer um pouco mais, lembrando um pouco o início da franquia. Entretanto, o maior destaque fica para a quantidade exorbitante de cenas de ação, com explosões, tiroteios, batidas, lutas e destruições em massa, com cenários icônicos como a congelante Finlândia, a quente Cuba e a megalópole Nova Iorque.

Saber aproveitar o ambiente foi o que não faltou. O roteiro de Chris Morgan explora muito bem as paisagens para trazer a tona fotografias extraordinárias, principalmente na parte final do filme, quando o diretor mescla o cartão postal que é a neve da Finlândia, com o fogo que é gerado através das explosões, em um verdadeiro show de edição, slow motion e sonoplastia.

Com a triste, mas óbvia ausência de Bryan O’Conner (Paul Walker), Dominic Toretto (Vin Diesel) assume por definitivo o lugar de protagonista da trama, que ainda conta com nomes consagrados no elenco como Luke Hobbs (Dwayne Johnson), Ian Shaw (Jason Statham), além de uma atuação espetacular da lindíssima Charlize Theron no papel da vilã Cipher. Como já é de costume na franquia, as falas de humor protagonizadas por Roman Pearce (Tyrese Gibson) continuam muito afiadas, trazendo a descontração que combina perfeitamente com o filme.

Se a busca é por entretenimento puro, longas e magnificas cenas de ação, visuais extraordinários, atores consagrados, bons diálogos e um roteiro que consegue dar a adaptação necessária para que o fatídico acontecimento com Paul Walker não acabe com a franquia, Velozes e Furiosos 8 é o filme certo para você.

Por Igor Feliciano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *