Review | Far Cry 6 continua aquecendo o coração do fã sem inovar

by:

CríticasGames

Chegamos a mais um titulo da franquia de sucesso da Ubisoft, Far Cry 6 chega apresentando tudo que deu certo no gênero, desde sua história principal, mapa aberto, missões secundárias, mas principalmente na derrubada do tirano.

Em Far Cry 6 temos a ficticia ilha de Yara, com inspiração de Cuba, dominada pelo “El Presidente” Anton Castillo (dublado e personalizado pelo renomado ator Giancarlo Esposito). Algo que já é bem clássico na franquia, ótimos vilões, com propósitos cada vez mais dominantes e quase imbatíveis. E dessa vez o player tem a opção de ser um personagem em primeira pessoa do gênero masculino ou feminino.

História

Com poucas reviravoltas, e com um peso menor, Far Cry 6 investiu muito em tentar entregar um antagonista antológico que talvez aconteça algo que deixe os desenvolvedores triste: o esquecimento; claro, tem momentos em que a atuação do Esposito são memoráveis.

A franquia por diversos momentos obteve sucesso com grandes vilões, entretanto aqui, na ilha de Yara, ele não chega a ser feliz em seus atos. Mas ainda é divertido finalizar a história principal, levando aproximadamente cerca de 5h ou até 6h. Para quem gosta será uma diversão garantida, porém não memorável como no terceiro e quarto título da franquia.

Jogabilidade

Far Cry 6 mantém a pegada de sucesso que os fãs da franquia amam, para quem nunca jogou algum título é bem simples e bem didático o inicio da história. As oportunidades de utilizar peças secundárias para invadir espaços continua bem executada desde o quarto game, e a mecânica do mundo aberto responde bem aos comandos do player.

Mapa

Como sempre temos um estilo próprio que continua em Far Cry 6, os desenhos são bons mas não chegam a impressionar no realismo, a ideia é continuar o jeitão da franquia. Mesmo assim o mapa é gigantesco, divertido e não é cansativo, algo muito complexo de executar, porém chega a ser comum para os produtores da Ubisoft. Pois a ilha interagem com o personagem principal e surpresas podem aparecer.

Conclusão

A Ubisoft continua acertando na franquia ao manter a essência do jogo, Far Cry 6 tem a mesma mecânica, ou seja: continua a qualidade; mapa grande e interativo, além de continuar um bom ritmo do antagonista. Tudo que o fã ama e preserva nos títulos, porém é preciso pensar no futuro em relação a nova geração, pensar em que caminhos podem crescer pois entregar mais do mesmo pode ser rentável até um determinado momento.

Far Cry 6

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *