Crítica | Annabelle 3: De Volta Para Casa

by:

CríticasFilmes

Annabelle 3: De Volta Para Casa

Após oito filmes da franquia criada por James Wan (produtor de Invocação do Mal, A Freira e Sobrenatural) chegamos ao possível desfecho da boneca aterrorizante. Annabelle 3: De Volta Para Casa demonstrou ser um filme simples para o gênero, mas com elementos únicos que aproximam o telespectador a aproveitar essa continuação. O longa metragem não supera os filmes anteriores do universo, mas ainda assim é predominante e passa na frente do primeiro filme da boneca.

Quando Ed (Patrick Wilson) e Lorraine Warren (Vera Farmiga) recuperam a boneca demoníaca Anabelle e a trancam no porão junto aos outros artefatos malignos, o casal acha que o mal está contido, mas tudo pode virar de ponta cabeça quando uma amiga de Mary Ellen (Madison Iseman / interpreta  a babá de Judy Warren) faz uma visita às meninas e decide bisbilhotar a casa.

Com a ausência dos pais Judy (Mckenna Grace) tem que passar o final de semana com Mary. Era para ser mais uma noite das meninas sem nada diferente, mas Daniela (Katie Sarife) estimulada pelo desejo de rever um ente querido, tenta de qualquer forma abrir a sala de artefatos. Mal sabia ela do mal que estava libertando…. Lutando pela própria sobrevivência, as três garotas embarcam então em uma aterrorizante noite que parecia nunca ter fim.

Afinal, heróis ou farsantes? Em Annabelle 3: De Volta Para Casa os Warren têm enfrentado recentemente, críticas a respeito de sua profissão, o que afeta diretamente na vida social de Judy, que tem de lidar com as provocações na escola. Enquanto isso, presa em um armário de vidro benzido, Annabelle estava dominada. Bom, isso era o que pensavam…. Ao entrar na sala proibida Daniela desperta não somente a boneca como todos os maus espíritos que ali estavam. E agora quem poderá nos defender?

Além de ser embasado em uma fotografia excelente, o filme conta com uma trilha sonora de arrepiar… LITERALMENTE! Joseph Bishara é o responsável pelas composições musicais de Annabelle 3: De volta para casa (2019). Além de: “A Maldição da Chorona” (2019), “Maligno” (2019) e “Invocação do Mal 2” (2016).

Gary Dauberman (diretor) e James Wan surpreendem o público a cada filme e levam os apaixonados por terror à loucura. Uma pequena revolução cinematográfica os acompanha a cada produção e cabe a nós, meros espectadores, atentar para as riquezas de detalhes e mensagens escondidas durante Annabelle 3: De Volta Para Casa .

Por Ana Julia Carnahiba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *