Análise | Terra Média: Sombras da Guerra

O game faz parte do universo estendido do Senhor dos Anéis que todo fã quis ver

by:

CríticasGames

Com um sucesso enorme nós livros e nas telonas, nada mais justo do que uma série de sucesso nos games, e assim veio Terra-Média: Sombras da Guerra, faz jus à fama de Senhor dos Anéis. Com um universo baseado nos contos de Tokien, podemos explorar partes da Terra Média, principalmente Mordor, onde abita o maior perigo o senhor das sombras Sauron, o dono do anel mais conhecido da cultura pop e do cinema.

No game nós assumimos Talion, um guardião que com sua família foi oferecido em um ritual pelos servos de Sauron. No primeiro game o nosso protagonista foi banido da morte, e conheceu Celebrimbor, o maior ferreiro dos Elfos. Com essa maldição, o Guardião nunca morria, não importa o quanto Orc’s tentavam. Desse modo foi nomeado pelos seu inimigos com o “Nunca Morto” assim Talion procura por vingança e Celebrimbor, seu parceiro, por respostas.

Além de explicar o “porque” o jogador sempre voltamos a vida, a maldição deu origem ao sistema Nêmeses. Nesse sistema, há um exército de orcs e Uruk-Hai, com chefes e comandantes, sempre que um Orc normal mata, ele é promovido e suas habilidades e level são ampliadas. Com poderes de Celibrimbor, podemos controlar mentes fracas, nesse caso os Orcs. Sendo assim podemos controlas capitães e chefes e fazemos eles trabalharem para nós, por exemplo: pedir para lutar com outros comandantes, trair seu chefes em uma luta. Entre outras funções.

Em Terra-Média: Sombras da Guerra a história continua exatamente onde o anterior parou. A motivação dos dois mudaram, agora ambos querem Guerra. Com o objetivo de acabar com os planos de Sauron, decidem usar fogo contra fogo, e criam um novo anel do poder, semelhante ao do arque rival. Essa joia contém o espirito e os poderes de Celebrimbor. Nessa nova jornada vamos conhecer novos personagens e podemos esperar muito mais referências do filme, diferente do game anterior. Quem é fã vai pirar ao ver algumas participações.

O sistema Nêmeses permanece o mesmo, com algumas melhorias notáveis. Dessa vez podemos nomear um guarda costas sempre que tivermos em menor número (e acredite, você sempre vai estar), além de um aliado pode ser chamado ao campo.

Agora, em cada área do mapa existe um fort, nesse local há os Chefes que protegem os portões e as áreas, além de existir um Comandante, e assim que conquistamos o lugar, nós nomeamos cada um deles.

 


Nisso entra o multiplayer, pois você pode invadir o forte de outros jogadores, ganhando XP e baús com upgrades para os seus Orcs e para você, como: armadura, espada, espada para o stealth, capa, arco e anel, tornando seu personagem mais forte. Aí está o muito comentado, você pode comprar esses baús e melhorar bastante seu exército. Não é um “pay-to-win” porem ajuda o jogador.

A jogabilidade é a mesma, não houve grandes alterações. O sistema de lutas foi mantido, batemos, batemos, revidamos, batemos, batemos, e revidamos. Há algumas modificações, como: novos upgrades para ampliarmos a forma de luta do personagem. A maior novidade agora é que montamos em Dracos, Dragões menores e domáveis pelo poderes de Celebrimbor.

Os gráficos tiveram uma boa melhoria, estão mais bonitos, principalmente nas Cg’s. A expressão fácil é espetacular. A dublagem é ótima, a Warner vem dando um exemplo nesse aspecto com jogo como Injustice. A personalidade dos Orcs continuam muito boas, a forma de se expressarem é sensacional.

Terra-Média: Sombras da Guerra é excelente jogo, traz o que há de melhor no universo de Senhor dos Anéis, claramente um jogo feitos por fãs, para os fã, qualquer fã como eu é obrigado a dar pelo menos uma conferida. Terra Média Sombras de Mordor já está disponível para Xbox One, PC e Playstation.

Terra Média: Sombras da Guerra

Estúdio: Ubisoft
Lançamento: 27 de outubro de 2017
Gênero: ação
Plataformas: Xbox One, PlayStation 4 e PC.

Nota: 8

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *